Notícias

Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora
Comissão Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano
Comissão Especial para a Ecologia Integral e Mineração
Dia para combater o trabalho infantil e refletir sobre o tráfico de pessoas

 

 

Por comunicação da CEETH-CNBB

 

 

O Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, momento para debater os direitos fundamentais das crianças e refletir sobre as modalidades do tráfico de pessoas. A data foi instituída pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2002, com o objetivo de chamar a atenção para o problema do trabalho infantil no mundo. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 1’9 milhão de crianças e adolescentes, entre 05 e 17 anos, estavam em situação de trabalho infantil no país no ano de 2022.

 

Neste dia 12 de junho para além da conscientização de direitos e políticas públicas, a Comissão Especial de Enfrentamento ao Trabalho Escravo (CEETH-CNBB), reforça que o trabalho infantil e o tráfico de pessoas têm relação e precisa ser enfrentado. São fatos que afetam milhões de crianças em todo o mundo. É uma violência contra as crianças que envolve a exploração e a violação dos direitos fundamentais, e muitas vezes, as crianças traficadas são forçadas a trabalhar em condições perigosas e exploradoras.

 

É importante observar os cenários em que as crianças são exploradas que acontece nos setores da agricultura, trabalho doméstico, ambiente corporativo, internet e ultimamente nas grandes capitais é possível encontrar a mendicância. São situações em que as crianças são forçadas a mendigar pelos grandes centros e avenidas das cidades.
O combate ao trabalho infantil e ao tráfico de pessoas exige um compromisso contínuo de todos, incluindo a igreja, os governos e organizações da sociedade civil. É imprescindível assegurar que todas as crianças tenham a oportunidade de crescer, estudar e viver em um ambiente seguro e saudável, livres da exploração e de abusos.
Medidas de Combate:
  • Campanhas de conscientização sobre os riscos e consequências do trabalho infantil e do tráfico de pessoas.
  • Aplicação efetiva de leis contra o trabalho infantil e o tráfico de pessoas.
  • Redução da pobreza, além de viabilizar a economia social, contribui para combater o trabalho infantil e o tráfico de pessoas.
  • Serviços de proteção, apoio psicológico e reintegração para crianças que foram vítimas de trabalho infantil e o tráfico de pessoas.
  • Cooperação Internacional entre países para combater o tráfico humano e proteger as crianças do crime de exploração