Notícias

Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora
Comissão Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano
Comissão Especial para a Ecologia Integral e Mineração

 

“Crime organizado transnacional, desafios crescentes e novas ameaças”.

 

 

*Nações Unidas | ONU News

 

 

No Conselho de Segurança, chefe da ONU pediu o reforço da cooperação, do Estado de direito e da inclusão para realizar metas globais; ação de grupos de crime organizado ou gangues causa um quarto dos homicídios em todo o mundo. O Conselho de Segurança debate o tema “Crime organizado transnacional, desafios crescentes e novas ameaças”.
 Em 07 de dezembro de 2023, com a presença de vários ministros dos 15 Estados-membros e países convidados, o secretário-geral António Guterres apontou o espaço cibernético como “o Eldorado virtual para criminosos”.

 

ONU/Eskinder Debebe No Conselho de Segurança, chefe da ONU pediu o reforço da cooperação, do Estado de direito e da inclusão para realizar metas globais  

 

Governação, corrupção e ilegalidade
O chefe das Nações Unidas disse que essa atuação acontece em diversas formas resultando em fraca governança e aumento da corrupção, da ilegalidade, da violência, de mortes e da destruição em muitos casos. No evento, a diretora executiva do Escritório da ONU sobre Drogas e Crime, Unodc disse que os grupos de crime organizado ou gangues são responsáveis por um quarto dos homicídios em todo o mundo.
Ghada Waly declarou que em muitos casos os afetados pelos traficantes são vítimas de violência econômica e da degradação ambiental.  Para conter o crime organizado transnacional, António Guterres apontou que, em primeiro lugar, deve ser reforçada a cooperação em meio à atuação de grupos criminosos além-fronteiras e em várias áreas geográficas.

 

Uso da tecnologia em atividades criminosas
O chefe da ONU sugeriu, em segundo lugar, que seja fortalecido o Estado de direito. Para ele, a medida é essencial para os esforços buscando soluções pacíficas para os conflitos e para conter várias ameaças do crime organizado transnacional. O terceiro ponto é o reforço da prevenção e promoção da inclusão incentivando a atuação para cumprir a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável com respeito aos direitos humanos, civis, políticos, econômicos, sociais e culturais. Guterres pede que o combate ao cibercrime seja acompanhado por uma atuação global mais eficaz contra a ação dos grupos envolvidos que “usam a tecnologia em todas as etapas das suas atividades maliciosas”.
O secretário-geral indicou que os planos de prevenção do crime devem refletir as experiências vividas por todas as comunidades, especialmente pelas minorias, mulheres e jovens. Outra recomendação envolve avançar na igualdade de gênero. Para o líder das Nações Unidas, as ligações entre o crime organizado e o terrorismo são um motivo de especial preocupação.
Ele disse que integram a lista dos grupos terroristas do Conselho, muitas vezes se aliam para lucrar com diversas formas de tráfico. No Sahel, por exemplo, buscam conexões com o crime organizado para financiar suas atividades ilícitas.

 

Alta da violência em todo o mundo
Guterres revelou que o tráfico de drogas alcançou níveis recordes. O negócio é considerado “o mais lucrativo dos grupos transnacionais do crime organizado” e impulsiona a violência em todo o mundo. O crescente comércio ilícito de armas de fogo alimenta conflitos que matam e mutilam milhões de pessoas, além de contribuírem para um aumento dramático de atividades criminosas em várias regiões.
No discurso, o chefe da ONU afirmou que os fluxos financeiros ilícitos provocam a perda de milhares de oportunidades de desenvolvimento ou meios de subsistência e agravam a pobreza. África é a região onde se perde mais dinheiro devido ao problema que está aliado à evasão fiscal e ao branqueamento de capitais.

 

 

 

Texto publicado originalmente no site Nações Unidas| Onu News

Imagem foto de destaque: Unsplash/Mika Baumeister