Notícias

Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora
Comissão Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano
Comissão Especial para a Ecologia Integral e Mineração

Organização Internacional para as Migrações, OIM, e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, publicam recomendações para melhorar coleta e análise de informações sobre crime.

 

 

 *Nações Unidas | ONU News

 

A Organização Internacional para as Migrações, OIM, e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, divulgaram diretrizes para aprimorar o manejo de informações relacionadas ao tráfico de seres humanos. Segundo as entidades, a carência de evidências e investigações para embasar o desenvolvimento de políticas e programas nacionais de combate ao tráfico de pessoas representa um obstáculo na utilização de dados para tomada de decisões.

 

Crime de tráfico de pessoas
As agências da ONU destacam que essa situação decorre da escassez de informações disponíveis sobre o crime, que, dada a sua complexidade e natureza clandestina, muitas vezes permanece imperceptível. Quando há informações sobre o tráfico de pessoas, elas geralmente vêm de várias fontes diferentes, mas não estão muito bem conectadas, deixando as informações fragmentadas
Através da Norma Internacional de Classificação de Dados Administrativos sobre Tráfico de Pessoas, as agências querem fazer com que “cada caso conte” e pretendem apoiar os governos e outras partes na luta contra o tráfico. Carência de evidências e investigações para embasar o desenvolvimento de políticas e programas nacionais de combate ao tráfico de pessoas representa um obstáculo na utilização de dados para tomada de decisões
 
Geração de dados
O primeiro projeto promove uma abordagem comum para a coleta de dados nacionais sobre o tráfico de seres humanos. As orientações apoiarão os governos no levantamento e análise de dados de alta qualidade e comparáveis a nível internacional, que podem ser utilizados para melhorar significativamente a base de evidências para a resposta ao tráfico de pessoas.
O desenvolvimento de novas normas e orientações foi realizado em consulta com especialistas antitráfico de organizações internacionais, agências governamentais, universidades e sociedade civil de uma vasta gama de países.
 
Formulação de políticas públicas
A chefe do Departamento de Apoio a Programas e Gestão de Migrações da OIM, Monica Goracci, afirma que sem dados e provas, não será possível formular políticas de combate ao tráfico direcionadas e eficazes. Ela destaca que, em operações diárias, vários intervenientes na luta contra o tráfico recolhem uma riqueza de informações sobre o crime, incluindo serviços sociais e judiciais.
Monica Goracci afirma que é fundamental aproveitar estes dados administrativos de uma forma ética e padronizada para aprender mais sobre o tráfico de pessoas. A chefe do Departamento de Pesquisa e Análise do Unodc, Angela Me, adiciona que a prevenção do crime também passa pela melhoria dos dados. Ela avalia que novas normas devem ajudar governos a monitorizar os padrões e fluxos de tráfico, avaliar a resposta nacional ao problema do tráfico de seres humanos e moldar intervenções informadas para impedir o crime.

 

 

Texto publicado originalmente no site  Nações Unidas | ONU News

Imagem| Unhcr/John Wessels Refugiados e requerentes de asilo encontram segurança e abrigo em Zarzis, na Tunísia.